XX Congresso do PCUS – Ruptura em aberto

Francisco Martins Rodrigues

Passam 50 anos sobre o XX Congresso do PCUS. Com as suas críticas ao “culto da personalidade” e aos “graves erros” de Staline, a oferta ao imperialismo de uma “nova era de coexistência pacífica” e o anúncio da “passagem pa­cífica e parlamentar ao socialismo” nas democracias bur­guesas, o congresso desencadeou um terramoto no já ago­nizante movimento comunista.

Continuar a ler

Anúncios

Brumas do fascismo

Francisco Martins Rodrigues

Verdadeiramente colossal a vastidão dos temas que João Bernardo ataca no seu mais recente trabalho, Labirintos do fascismo[i], cuja apresentação teve lugar em Dezembro, na Associação Abril em Maio. Apoiado num levantamento riquíssimo das lutas sociais na primeira metade do século xx europeu, o livro abre pistas inesperadas sobre a questão do fascismo. Continuar a ler

Direitos da mulher não é política?

Francisco Martins Rodrigues

Dois artigos sobre a questão da mulher na Ruptura, órgão da FER[1], são pretexto para estes comentários. No primeiro, a propósito de um encontro do Bloco de Esquerda dedicado à luta da mulheres, Cristina Portella defende que os problemas “de género” (aborto, violência doméstica, prostituição, etc.), sendo “transversais à luta feminina” por se aplicarem a burguesas e proletárias, devem ser subordinados aos problemas autenticamente de classe: desigualdade salarial, precariedade, creches, desemprego, pobreza.

Continuar a ler

Retomar a ruptura

Francisco Martins Rodrigues

Dir-se-á que a crítica de 1964 [do CMPL, Comité Marxista Leninista Português, fundado por FMR] teve o seu papel no desmascaramento do reformismo, mas que hoje, numa situação interna e internacional completamente transformada, tem um interesse apenas histórico. Creio que é o contrário. Chega agora a vez de a “nova esquerda”, na luta contra o neoliberalismo, nos impingir as velhas receitas do PCP, revistas e aumentadas. Continuar a ler